Quinta-feira, 24 de julho de 2014 
Página InicialLançamentos ImobiliáriosSolicite um ImóvelClassificados de Veículos
Clique aqui para realizar uma pesquisa através das Regiões de Campo Grande
Clique aqui para realizar uma pesquisa Detalhada
Visualizar Imobiliárias e Corretores
Adesão de Clientes
Conheça o InfoImóveis
Conteúdo de ajuda
Dicas importantes
Fale Conosco
Lançamentos
Lista de Cartórios
Notícias
Política de uso
Publicidade
Administrar (Extranet)
Material de Construção
Eletrodomésticos
Poços
Aquecedores Solar
Madeireiras
Limpa Fossa
Móveis
Impermeabilizações
Encanadores
Forro
Serralheiros
Engenheiros
Ferramentas
Quadros e Molduras
+ profissionais...
Sexta-feira, 4 de abril de 2014
Mercado de imóveis para brasileiros nos EUA continua aquecido

A crise de 2008 foi responsável pelo menor índice de preços imobiliários da história dos Estados Unidos (segundo o Federal Reserve, no auge da bolha imobiliária os preços caíram 33%), e alterou os rumos de investimentos em imóveis no País.

Segundo Michel de Amorim, sócio da Drummond, empresa com escritórios em Boston, Miami e São Paulo e referência em assessorar brasileiros nas áreas contábil, jurídica e financeira em trâmites internacionais, os baixos preços, somados aos custos de financiamentos inferiores aos encontrados no Brasil (cerca de 4% e 5% ao ano) contribuem para que brasileiros garimpem oportunidades atraentes na terra do Tio Sam.

E Miami continua sendo a queridinha dos compradores. "Cerca de 30% da demanda de brasileiros por imóveis americanos corresponde a Miami Beach, seguido de Kissimmee, em Orlando, e da sofisticada cidade de Fort Lauderdale, a aproximadamente 40 quilômetros do famoso balneário americano." O executivo explica que essas áreas de maior interesse são regiões turísticas onde as locações de imóveis para temporadas são permitidas, o que possibilita a rentabilidade com aluguéis de períodos curtos.

Michel afirma que, mesmo com o pequeno declínio de vendas em 2013, em comparação ao ano anterior (em 2012 a Profile of International Home Buying Activity concluiu que 3% do total de vendas internacionais eram para brasileiros, contra 2% em 2013) os juros baixos e facilidades aos estrangeiros continuam interessantes. O executivo relata que o que mudou foi o perfil do investidor."Constatamos um aumento de pessoas que, pela primeira vez, buscam informações para investir em imóveis nos EUA. Além disso, observa-se uma grande procura por propriedades para passar férias, e não apenas com o primeiro intuito de lucro, como anteriormente era mais frequente".

Outro atrativo inédito são as opções cada vez mais adaptadas ao gosto do brasileiro, com apartamentos mais amplos, maior número de quartos e dependência de empregada – um serviço que não costuma ser requisitado pelos americanos, mas é muito comum no Brasil. "É tão evidente o crescimento da procura por apartamentos nos Estados Unidos que as incorporadoras vêm adequando os projetos imobiliários para atender aos hábitos dos brasileiros", afirma De Amorim.

Para poder usufruir das vantagens de adquirir um imóvel nos Estados Unidos, Michel aponta algumas dicas:

·A legislação americana prevê impostos para transferência de um imóvel de pessoa física, o que pode atingir até 35% do valor de mercado da propriedade. Para imóveis de maior valor, a sugestão é que a aquisição seja feita em nome de uma pessoa jurídica para evitar tributos no momento do falecimento do proprietário e trazer ao mesmo mais segurança quanto à exposição do seu patrimônio em caso de processos judiciais junto a credores e/ou inquilinos. Em muitos casos, as quotas dessa pessoa jurídica americana são propriedades de empresas estrangeiras (offshore) , no caso de morte do sócio, não existe o impacto do imposto de sucessão, uma vez que o imóvel é propriedade de uma empresa fora da jurisdição americana, onde não há a incidência de tal imposto.

·Registros de imóveis são informações públicas nos EUA, e os dados sobre compra e venda de propriedades ficam disponíveis ao público, ocasionando falta de privacidade. Por isso, para assegurar a confidencialidade do trâmite, sugere-se a aquisição do imóvel por meio de uma pessoa jurídica.
 
·Isso quer dizer que a abertura de uma empresa no exterior para a aquisição do imóvel é sempre o mais indicado? Não necessariamente. Devido a um custo maior de manutenção, e obrigações acessórias como registros anuais juntos as agências reguladoras americanas, nem sempre a abertura de uma empresa no exterior é o recomendado. Por isso é tão importante uma análise específica de cada caso.

·Receita de aluguel – Atenção ao alugar o imóvel, pois há incidência de imposto sob a renda proveniente do aluguel nos EUA. No caso de proprietário estrangeiro, esse imposto deve ser retido na fonte pela corretora do imóvel. Em via de minimizar a exposição ao FISCO americano, um profissional tributarista deve ser consultado.


Fonte: Redação
Veja mais notícias do ramo Imobiliário.
 22/07/2014 - Lukscolor lança série “Terapia da Cor”
 22/07/2014 - Feira moveleira apresentará palestra sobre produção de móveis sustentáveis
 22/07/2014 - Todeschini lança campanha comemorativa aos 75 anos
 22/07/2014 - Linha Mobly Office tem kits práticos e funcionais
 20/07/2014 - Conheça todas as vantagens de comercializar imóveis com um corretor
BUSCA DE NOTÍCIAS
voltarpágina inicial
Institucional

Página Inicial
Conheça o InfoImóveis
Conteúdo de ajuda
Política de uso
Trabalhe conosco
Fale conosco
Imóveis

Destaques
Lançamentos
Busca detalhada
Busca no mapa
Solicite um imóvel
Adesão de clientes
Serviços

Guia de profissionais
Móveis e construção
Notícias imobiliárias
Dicas importantes
Lista de cartórios
Publicidade
ShopBoats - Referência Náutica
Acompanhe o InfoImóveis





Todas as informações dos anúncios são de responsabilidade dos respectivos anunciantes.
© 2005-2014 INFOIMÓVEIS - Sua Referência em Imóveis - Todos os direitos reservados