Sábado, 28 de maio de 2022
Área administrativa
Busca de imóveis
Busca detalhada Busca no mapa Imobiliária/Corretor
Cliente infoimóveis

Administre seus imóveis no site.

Área administrativa

Notícias

Confira notícias do ramo imobiliário
+ - Tamanho da fonte
Sexta-feira, 15 de abril de 2022

Como serão as residências do futuro?

Os smart buildings são uma das maiores tendências atuais do mercado de construção civil. Sustentáveis, modernos e conectados à internet, os edifícios inteligentes são capazes de oferecer maior conforto e interatividade a seus moradores e prometem uma revolução no modo como nós interagimos com nosso ambiente doméstico.


Nos últimos anos, é possível observar uma tendência no mercado imobiliário de valorização deste tipo de imóvel devido à percepção de que estes seriam as “moradias do futuro”. De fato, da mesma forma que tecnologias, como o ar-condicionado e a máquina de lavar, revolucionaram o modo de vida doméstico, pode se esperar que o mesmo ocorra com os smart buildings.


“A tecnologia smart veio para ficar e é natural que ela se adapte e se integre cada vez mais ao setor de construção civil”, afirma Eduardo Peralta, empreendedor imobiliário CEO do grupo Inloop. “Nos próximos dez anos, é provável que este tipo de empreendimento represente uma fatia ainda maior do mercado”, complementa Eduardo.


Hoje, em parceria com a Planet Smart City, fomos buscar tecnologia na Itália para trazer e implantar aos nossos lançamentos “Viva Smart” aqui no Brasil. Por mais simples que possam parecer, algumas soluções ainda não tem acesso tão fácil por aqui, mas sabemos que a medida em que a tecnologia 5G vai se estabelecendo no Brasil, os imóveis inteligentes tendem a se tornar mais comuns. No futuro próximo, não será difícil encontrar casas controladas por dispositivos automatizados, responsáveis pela aclimação, segurança e iluminação, e conectadas à 
internet.


“Acredito que com esse tipo de tecnologia tornará a vida no futuro mais prática e confortável”, afirma Eduardo. “No momento, empreendimentos inteligentes ainda são minoria no Brasil, mas temos todos os motivos para esperar que isso mude nos próximos anos”, finaliza o CEO.

Mais imagens:
Fonte: Redação - Foto: Divulgação