Terça-feira, 23 de outubro de 2018
Área administrativa
Busca de imóveis
Busca detalhada Busca no mapa Imobiliária/Corretor
Cliente infoimóveis

Administre seus imóveis no site.

Área administrativa

Notícias

Confira notícias do ramo imobiliário
+ - Tamanho da fonte
Domingo, 5 de agosto de 2018

Para estimular construção civil, governo eleva valor máximo de imóvel que pode ser comprado com FGTS

Diante do ritmo fraco da construção civil, setor que vem registrando os piores resultados mesmo depois do início da recuperação da economia, o governo tomou uma medida para estimular a construção de imóveis no país. Na última terça-feira (31), o Conselho Monetário Nacional elevou o valor máximo do imóvel que pode ser adquirido com recursos do FGTS. Vai passar de R$ 950 mil para R$ 1,5 milhão.

Na prática, o governo voltará a uma regra que vigorou até 31 de dezembro do ano passado, quando o CMN havia elevado para R$ 1,5 milhão o valor do imóvel que pode ser financiado pelo Sistema Financeiro Habitacional (SFH), no qual o comprador pode usar recursos do seu FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Na época, o valor vigorou entre fevereiro e dezembro de 2017 como uma medida temporária, de estímulo ao setor da construção civil.

Agora, como o setor continua cortando mais vagas de trabalho do que gerando, e a economia está num ritmo bem mais lento do que o previsto pela equipe econômica, a regra volta a vigorar. Com uma possível novidade: o valor maior, de R$ 1,5 milhão, era fixado apenas para grandes cidades, como São Paulo, Rio, Brasília e Belo Horizonte. Agora, deve valer para todo o país.

O CMN deve fazer mudanças também no percentual que os bancos devem aplicar em crédito imobiliário. Hoje, eles precisam direcionar 65% do montante depositado em caderneta de poupança para o crédito imobiliário, sendo 80% destes 65% no SFH.

O governo pode flexibilizar a regra, permitindo que os bancos usem uma parte destes recursos no financiamento de imóveis fora do SFH.

Mais imagens:
Fonte: Redação, com informações do Portal G1 - Foto: Divulgação